Millor Fernandes:


Jornalismo, por princípio, é oposição – oposição a tudo, inclusive à oposição. Ninguém deve ficar acima de qualquer suspeita; para o jornalista, não existem santos.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

O BRASIL PRECISA VOLTAR ÀS RUAS!!!

Por: Wilson Agostinho

A corrupção é um vício hospedado no homem desde a sua gênese - a Bíblia conta a história de Adão e Eva, uma Serpente e uma Fruta Proibida. Ela habita a mente humana ombreando com a inveja, com a gula, com a avareza e com suas outras quatro irmãs e se torna um pecado quando, pela força da tentação, ultrapassa a barreira das virtudes.

Assim como as bactérias que habitam o corpo humano e que, ao encontrarem ambiente propício, vencem as defesas do organismo e se transferem ao comportamento dos anticorpos, multiplicam-se e colocam em risco a vida do hospedeiro, a corrupção pode tomar conta de uma parcela significativa do organismo estatal e comprometer a vida de toda uma nação, como ocorre hoje no Brasil.

O Partido dos Trabalhadores - em meio a tantos desserviços prestados ao País, graças à ganância e à soberba com que assaltou o erário - tornou evidentes os efeitos e, principalmente, a abrangência da corrupção que contamina a nossa classe política e dirigente. "Antibióticos" com o potencial de Sérgio Moro e de Deltan Dallagnol e um time especial de Juízes, Procuradores e Policiais Federais, juntamente com a população indignada, no papel de "anticorpos", entraram em ação e passaram a combater o mal. O primeiro resultado da reação foi o impeachment da “presidenta” Dilma Rousseff e a evacuação do PT pela saída dos fundos da história.

Hoje, graças às primeiras prisões e às muitas delações premiadas, os corruptos - como bactérias mutantes - tomam medidas para tornarem-se imunes ao tratamento que irá tirá-los de circulação e que eliminará o caldo de cultura que lhes dá vida: A Operação Lava-jato e as 10 Medidas Contra a Corrupção. Buscam aperfeiçoar seus mecanismos de autodefesa e, tanto no Congresso como no Governo Federal, o instinto de sobrevivência transforma-se em desaforo e caradurismo para fazer face à reação popular e ao tratamento judicial, abusando da paciência do povo e da competência dos operadores da lei.

A indicação para o STF de um jurista cuja isenção de julgamento é, no mínimo, duvidosa e a colocação de amigos ao abrigo do privilégio de foro - atitudes conhecidas e abomináveis, praticadas anteriormente pelo execrado Partido dos Trabalhadores -, põem em xeque a competência do governante para levar a bom termo o mandato que lhe foi confiado por sucessão constitucional, sob aplausos da esperança popular.

Uma reunião realizada na intimidade de uma embarcação entre o candidato a ministro e parte de seus avaliadores autoriza supor a construção de conchavos ao arrepio do interesse do direito, da vontade e da necessidade nacionais. A composição majoritária e a entrega da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a um grupo de políticos relacionados com crimes de corrupção e caixa dois é uma forma insolente de zombar da paciência da população. Não menos sintomática foram as eleições para as presidências da Câmara e do Senado!

O Presidente e o Congresso perderam a cerimônia e estão reagindo às consequências dos ilícitos de que são suspeitos com práticas que a eles se somam. Estão merecendo um alerta oportuno e veemente da vontade popular, nos moldes que lograram frustrar o plano petista de poder e que atribuíram ao atual presidente Michel Temer a tarefa de completar o mandato em curso dentro da lei e da ordem e que mostraram ao mundo que o povo brasileiro acordou e que está atento aos seus interesses.

Porém, aqui faço uma pergunta: onde estão os movimentos de rua nesse momento? Estão quietos demais! Se omitiram? Se acovardaram? Estão vendo todo esse descalabro parados, amuados? Ou querem reforçar o discurso da esquerda de que tais multidões foram reunidas "apenas" para retirar o PT do poder, enquanto os engenheiros que faziam as engrenagens da máquina corrupta do governo lulopetista funcionar, continuam em seus postos? Se cansaram? Estão esperando mais o quê para voltarem às ruas e retomar a pauta de reivindicações para darmos um fim a essa cleptocracia?

Com a palavra e a iniciativa, os líderes e os coordenadores dos grupos patrióticos que protagonizaram históricas manifestações de rua e a abertura das vias de acesso para o novo e árduo recomeço da Nação brasileira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recomenda-se ao comentarista que submeta seu texto a um corretor ortográfico.

Pede-se o uso de parágrafo, acrescentando-se um espaço entre uma linha e outra.

O blog deletará texto só com letras MAIÚSCULAS.


"Se a prudência da reserva e decoro indica o silenciar em algumas circunstâncias, em outras, uma prudência de uma ordem maior pode justificar a atitude de dizer o que pensamos." - (Edmund Burke)