Millor Fernandes:


Jornalismo, por princípio, é oposição – oposição a tudo, inclusive à oposição. Ninguém deve ficar acima de qualquer suspeita; para o jornalista, não existem santos.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ouvi : "The Final Frontier" do Iron Maiden e...


Estou na primeira tentativa de audição do novo disco do Iron Maiden "The Final Frontier" e já posso afirmar antes de ouvir todo: que gostei! É bem melhor que os dois anteriores.

Já aos os outros eu dei notas entre: 5 (Dance of Death) e "inaudível, só vale pela capa. Compre um poster." (A matter of life and death).

TFF tem essa linha prog bem mais acentuada mesmo. "The Talisman" é bem legal.

O ponto negativo é que o inicio do disco não empolga. A primeira musica é razoável para baixo. "Satellite 15...The Final Frontier" não é digna de abrir um disco, ainda mais um disco do Maiden.

Ao ouvir pela segunda vez a "El dorado" consegui gostar dela.

O ponto positivo: É que já tenho uma preferida: "Starblind". É a nova infinite Dreams!

"The Man Who Would Be King" me agradou de cara.

Como um critico chato eu acho que no geral falta um pouco de "Punch". Talvez pelo começo fraco.

Falta uma "Rainmaker". O tipo de musica que tem punch! E que faz um disco inteiro razoável valer a pena pela sua presença. Por exemplo: Dance of Death (que pra mim é chato) só vale a pena e quase mereceu um 6 por causa dela.

Mas esse novo disco está acima de razoável, ele é bom beirando o legal, talvez por isso não precise uma "Rainmaker" para me agradar.

Acho que fui mais elogioso do que gostaria. Nota: 7

2 comentários:

  1. se os beatles tocassem heavy metal soaria como When the Wild Wind Blows hehehe

    ResponderExcluir

Recomenda-se ao comentarista que submeta seu texto a um corretor ortográfico.

Pede-se o uso de parágrafo, acrescentando-se um espaço entre uma linha e outra.

O blog deletará texto só com letras MAIÚSCULAS.


"Se a prudência da reserva e decoro indica o silenciar em algumas circunstâncias, em outras, uma prudência de uma ordem maior pode justificar a atitude de dizer o que pensamos." - (Edmund Burke)